Tempo confirma decisão

Eu sempre acreditei que a vida é feita de escolhas e que as decisões que tomamos influenciam todo o percurso da nossa existência.

Não que eu não pense que alguns tenham mais sorte do que outros. Sim! Certas coisas são mais fáceis para algumas pessoas. Mas a pouco tempo atrás, passando por alguns momentos difíceis, aprendi a ter maior confiança em quem eu era e decidi que a partir daquele momento quem faria minha sorte seria eu, com a ajuda e benção de Deus. A partir daí, comecei a olhar para o sofrimento com uma ótica positiva e passei a tomar minhas próprias decisões sempre pedindo conselhos, buscando sabedoria, ponderando as consequências, e finalmente fazendo a minha escolha, baseado no que eu acreditava e ninguém mais.

Mas você deve estar pensando: Falar assim é muito fácil! Difícil mesmo é saber tomar uma atitude diante de situações que implicam aspectos vitais de nossa jornada.

E é verdade! É fácil escolher um lanche. É fácil decidir pegar o ônibus ou o Uber. É fácil escolher entre trabalhar e estudar ou ir pra balada no final de semana. É fácil decidir entre comer salada ou macarrão. É fácil decidir se vale ou não a pena a oferta de emprego recebida. É fácil escolher um crush por um app de relacionamento. E é fácil decidir fazer ou não uma determinada viagem.

Difícil mesmo é quando se trata do outro! É escolher entre admitir mais um vacilo do parceiro ou não. É acreditamos nas desculpas do amigo ou não. Difícil é optar por confiar novamente em alguém. Difícil é aceitar o mesmo abraço que teve a audácia de te apunhalar um dia. Difícil mesmo é ter essa clareza quanto à manutenção de certas pessoas e situações em nossas vidas.

Sabe por quê? Porque as maiores dúvidas de nossas existência estão relacionadas as cargas afetivas que carregamos. A gente se apega fácil demais, se prende fácil demais e pior, a gente acaba por acreditar que não conseguiremos viver sem algumas pessoas. E é ai que decidir ficar ou partir, que poderia ser uma decisão tão simples, se torna a mais assustadora de todas elas.

Mas vai por mim, bom mesmo é quando você com total clareza dos fatos, já atestados, levanta os ombros, ergue a cabeça, seca as lágrimas e com a voz meio fraca e tremula toma aquela coragem de dizer um “não” e decide que irá enfrentar todas as consequências mesmo sem ter certeza de quais serão elas.

Não! Eu não estou dizendo que foi fácil pra mim e que será fácil pra você! Dói! E certamente você irá atravessar noites densas e escuras. Mas cabe a você sentir e enxergar que existe sim um lado positivo nisso tudo. E então a medida que o tempo vai passando, aquele peso vai sumindo das suas costas, o tempo vai clareando, o sol nascendo e na boca você sente um certo gostinho de vitória ao ver o decorrer de toda essa história. O sorriso volta pros lábios, as emoções voltam aos poucos pro peito e você começa a viver novas e incríveis experiências das quais nunca imaginava que viveria. E é ai amiga! É ai que você percebe que tomou a atitude mais correta da sua vida! A única atitude que poderia te salvar de você mesma. A atitude de decidir por si mesma e de ser positiva! E daí você ri ao se lembrar de tudo que passou e de como foi corajosa e forte. E essa amiga, com certeza, foi pra mim e será pra você uma das melhores sensações da minha e da sua vida.